Sessão da tarde - parte I


Inspirada pelo comentário de um amigo blogueiro, que me fez recordar dois grandes astros do cinema nas décadas de 40 e 60 que foram ícones de sua geração, decidi escrever para vocês sobre os "clássicos" que passaram na sessão da tarde, na década de 80. Eu, como boa cinéfila que sou, não perdia um filme desta sessão.


Para começar, vou recordar sobre um grande acontecimento que ocorreu em minha vida no ano de 1983, eu tinha sete anos, que me ajudou a ver os meus filmes de uma forma mais "alegre e colorida". No início deste ano, numa bela tarde de sol (estou falando a verdade, viu, lembro muito bem deste dia.......rs), meu pai chegou em casa carregando uma caixa grande e pesada, quase não conseguia segurá-la. Ele levou diretamente para nossa sala e ao abrir qual não foi a surpresa de minha mãe e principalmente minha ao ver o presente. Já adivinharam o que era? Isso mesmo, uma "televisão colorida da marca Philco", totalmente novinha. Olha meus amigos, aquilo foi um acontecimento em nossa casa, sabem por que? Naquele tempo, não tinhamos as facilidades de hoje. Comprar móveis e eletrodomésticos era difícil, sem contar que eram muito caros. Parcelamento então, hum nem se fala devido aos juros, que eram exorbitantes. Meu pai economizou bastante para comprar aquela relíquia. A partir desse dia, sentar em frente a "minha televisão" e assistir a "meus adorados filmes" tornou-se meu lazer diário, pois nada mais gostoso do que ver o colorido de um filme. Embora o preto e branco tenha seu charme, claro.


Toda as tardes de segunda a sexta batia meu ponto em frente a Tv para assistir a famosa "sessão da tarde". Rotina sagrada: chegava do colégio, tomava banho, almoçava e ia direto para Tv. E assim foi a minha vida até o ano de 1992, quando fui estudar a tarde e por força maior (estudos em primeiro lugar) tive de abdicar de meu amor, para me dedicar a outro (também adoro estudar).


Nesses anos, assisti a tantos filmes que fica difícil falar. Nos anos 80, os filmes que predominaram em sua programação eram voltados para o público da época, ou seja, donas de casa e crianças. Acredito que seja assim até hoje. A diferença talvez seja que as crianças naqueles anos eram inocentes e sonhadoras, coisa que sinceramente não observo nas crianças atualmente. Daí, observarmos histórias simples e engraçadas fazerem tanto sucesso, como as gostosas comédias românticas dos anos 50 e 60 estreladas por atores famosos daquela geração como:


1) Sandra Dee = em seus filmes fazia sempre o papel da garota ingênua e romântica. Atuou em três que eu adoro "Maldosamente ingênua", "Se o marido atender, desligue" e "Artimanhas de amor". Em maldosamente ingênua, ela faz o papel de uma moça pura que se apaixona por um surfista.



2) Doris Day = foi a protagonista de "O homem que sabia demais", excelente filme, dirigido pelo meu diretor preferido Alfred Hitchckok. Além deste, atuou ao lado de James Garner, em duas comédias super gostosinhas dos anos 60, chamadas "O tempero do amor" e "Eu, ela e a outra". Estes aqui passaram infinitas vezes na sessão da tarde. Outro maravilhoso com ela foi "Ardida como pimenta", muito engraçado e divertido. Aqui ela contracena com Howard Kell (para quem não conhece foi o ator principal de "Sete noivas para sete irmãos" e "Amor pagão").


3) Debbie Reynolds = trabalhou ao lado de Gene Kelly em um dos maiores clássicos musicais do cinema "Cantando na chuva", olha que não sou fã de musicais, mas este daqui é uma exceção. Maravilhoso, alegre, dançante, cativante, não tem quem não goste. Atuou também em "A flor do pântano" e "Armadilha amorosa", este último ao lado do grande Frank Sinatra.


4) Frank Sinatra = além de um ótimo cantor, também atuava bem. Dentre seus filmes, destaco os que mais gostei: "Marujos do amor", "Meus dois carinhos", "A um passo da eternidade"


5) Rock Hudson = este ator era muito bonito e fazia quase sempre o papel de galã. Trabalhou em um grande clássico do cinema "Assim caminha a humanidade". Atuou em um filme típico daquela época ao lado de Doris Day, chamado "Volta meu amor". Morreu em 1985, vítima da aids.


6) Jerry Lewis = para mim, o melhor ator de comédias que ja existiu. Sou suspeita para falar, pois eu adoro este ator. Vi praticamente todos os filmes dele. Ele passou por duas fases em sua carreira. Uma fazendo dupla ao lado de Dean Martin, outro comediante daquela época e depois carreira solo. Filmes que fez em parceria: "Ou vai ou racha", "A farra dos malandros" (adoro este aqui), " Artistas e modelos", "O rei do circo". Sozinho trabalhou em três filmes que considero maravilhosos (ri muito com cada um). O primeiro se chama "O professor aloprado" que anos depois Eddie Murphy protagonizou a refilmagem, mas olha, ele não chegou nem perto do JL. O segundo se chama "O bagunceiro arrumadinho" . O terceiro se chama "O terror das mulheres", hilário.


Bem amigos, vou parando por aqui, pois o post ficou longo e se continuar vai ficar maçante. No próximo escreverei a parte II. Espero que tenham gostado.

























6 comentários:

Marcelo A. disse...

Caraca! Nesse, tenho de ser o primeiro...

Bem, vamos por partes. Primeiro, você sabe o que a Sessão da Tarde significa na minha vida, né? Muito mais que os filminhos de sábado à noite no Supercine ou os "lançamentos" da Tela Quente ou os filmes-cabeças do Cineclube Banco do Brasil, o programa vespertino da Globo me fez gostar de cinema e ponto.

Todos esses filmes, esses astros e estrelas, também fazem parte do meu inventário sentimental. Sandra Dee, a eterna virgenzinha. Doris Day, além de atriz, por muitos considerada uma grande cantora... Uma época, os americanos a consideraram como a sua "maior cantora branca", pasme... Debbie Reynolds, a Tammy de A Flor do Pântano; Frank Sinatra e seu Oscar controverso por A Um Passo da Eternidade... Rock Hudson, enganando meia Hollywood e no fundo, no fundo, não enganando ninguém... Uahhahahhaa!!! E o meu, o seu, o nosso, Jerry Lewis. O rei. O papa. O pai do Jimm Carrey...

Uahahhahaaaaaaaaaaa!!!!

Bom, comadre, falei demais! Valeu mesmo pelas lembranças. Grandes tempos!

Thiago Paulo disse...

Olá, sou de 87, então ainda peguei uma parte boa da Sessão da Tarde, mas se me lembro bem, quando eu assistia, os filmes já eram vontados para o público adolescente.

Hoje em dia, é diferente, você não escuta mais as pessoas comentado sobre a sessão da tarde, sobre os filmes... Sera que as crianças que assistem os filmes de hoje - se é que assistem - vão se tornar cinéfilos? Digo isso porque, esses filmes que passavam na tarde da Globo também são responsáveis pelo " Meu Eu Cinéfilo". :)

Estou adorando seus post, está sempre muito bom. Nostalgia pura!

Bjs...

Vanença disse...

Estou adorando seu blog.
Sempre que termino de ler, fico na expectativa do que virá em seguida...
Bom demais!!!
Bjs

Jaime Guimarães disse...

Oi, Cíntia!

Bom, primeiro quero falar sobre a TV. Uma PHILCO, hein? Uau, isso era o sonho de consumo da época! Eu me lembro de assistir TV na velha COLORADO RQ! Não sei se lembra ou já ouviu falar dessa TV,o "orgulho da eletrônica brasileira", mas precisava primeiro "aquecer as válvulas" para funcionar direito!

Até que meu pai apareceu com uma SHARP (uau!)com CONTROLE REMOTO em casa! Ah, como era bom chamar os moleques da rua pra assistir a Turma do Lambe-Lambe e na hora dos comerciais fazer aquele ar imponente, apertar um botãozinho do controle remoto e TODA A MOLECADA olhar pra vc e falar "uia, uia!"

I got the power! hehehehe!

Bom, sobre os filmes não tenho muito assim a falar...do Hitchcock você escolheu bem o exemplo, mas se tem um filme dele que eu acho extraordinário é "Festim Diabólico" e eu recomendo com entusiasmo!

E Jerry Lewis é formidável, formidável...

Ah, o Marcelo falou da Doris Day como cantora. Ela é, sim. Claro, não ao nível de Ella Fitzgerald, Billie Holiday, Nina Simone...mas é uma delícia ouvir Doris Days cantando "Sooner of Late" e ler Tennessee Williams ou F.Scott Fitzgerald. ( "Contos da Era do Jazz")

Deixa eu parar por aqui antes que eu escreva um livro por aqui...rsss

abs!

Caio Coletti disse...

Não peguei muito essa época da Sessão da Tarde, mas tem gente aí que merece todo esse respeito sim. Vi alguns filmes com o Jerry Lewis e com a Debbie Reynolds, os dois são ótimos atores que sempre fizeram as escolhas certas na carreira, qualidade rara no cinema desde sempre.

Minha época de Sessão da Tarde foi marcada por "A Chave Mágica", "Guerreiros da Vitude", esse tipo de filme fantasioso que fazia a cabeça das crianças na época, eu adorava "História Sem Fim", que na verdade passava no SBT, até hoje vejo algo de especial, de diferente, de mágico nesses filmes. A Sessão da Tarde marcou muita gente.

Abraço

bones disse...

ok, tenho que falar tbm, na minha época de sessão da tarde eu gostava dos musicais com fred astaire, Papai Pernilongo era meu favorito, one ele contracenava com Leslie Caron, a qual eu gostei em Gigi e em Lili, no qual tinha a musiquinha do "ai lili ai lili ai lo" e Mel Ferrer coestrelava.
Também vi a Estória de Elza, lembram? documentário sobre uma leoa que gerou até música de novela.
Acho que voltei muito no tempo.desculpe.
Fato é que vc escreve muito bem e nos faz partilhar dessas memórias suas com muita facilidade. Grata por partilhar.
Abraços.
obs.: o post dos vampiros começou para falar sobre o lançamento do livro e não o seriado, hehe, preciso apreender um pouco dessa sua clareza de escrita. Obrigada pela visita.

Postar um comentário