Eu assistia cine prive. E vc?

Meus amigos, neste texto vou falar sobre uma fase, digamos assim, "sexy" que curti na minha adolescência. O título ja sugere o assunto. E como todo mortal vivi minha fase "filmes eróticos".

Mas, calma, não vou falar sobre putaria nem sacanagem, hein. Quem espera por isso, desista.

Vou relatar uma fase em que os filmes "éroticos e sensuais" fizeram sim parte da minha vida. Sem apelação. De forma natural e descontraída.


Vou começar, relembrando um "acontecimento inédito" na televisão brasileira que ocorreu no ano de 1992 e que mexeu com a imaginação de muitos adolescentes daquela geração. Causou uma baita polêmica na época. Eu estava cursando o primeiro ano do ensino médio. Numa antiga emissora de TV chamada OM Brasil (acredito que poucos se recordem), foi anunciado em sua grade de programas a exibição do filme "Calígula". Quem já o viu, sabe que tem um conteúdo altamente pornô e inadequado para ser exibido na TV. Porém, não sei explicar o porque ele foi escolhido para passar na citada emissora. Nunca entendi como a censura permitiu que tal história fosse liberada. So sei que, conforme anunciado, o filme seria exibido em duas partes. E pelo menos, a primeira delas foi, pois eu assisti e fiquei chocada com as cenas fortes e agressivas. Não só a parte do sexo que era novidade para mim, mas o contéudo do filme em si era ruim.


Lembro, que minha turma entrou em polvorosa com a perspectiva de assistir ao filme. E no dia seguinte, após a exibição da primeira parte só se falava nisso. Nas cenas do filme. E a discussão não ficou somente no meu colégio. Ela tomou proporções bem maiores, pois a censura proibiu a exibição da segunda parte. Os meios de comunicação, jornais, rádio e televisão se pronunciaram contra aquilo. Uma pena! Embora estivesse chocada queria terminar de ver.



E assim, fiquei na vontade, não so eu como todos os meus amigos. Anos depois com o advento do"vídeo cassete" peguei-o para terminar de assistir. Ah, um detalhe o filme foi exibido na "semana santa". Que loucura né. Outro filme que causou furor também e passou infinitas vezes foi "Alcová". Quem lembrar, vai saber do que estou falando.



Depois disso, descobri um programa que passava na Bandeirantes, todas as sextas feiras a noite, chamado "Sexta sexy", que anos mais tarde passou a se chamar "Cine prive" e foi transferido para às madrugadas de sábado (não sei se ainda passa). Comecei a assistir toda a semana. Os filmes que ali passavam, não eram pornôs, e sim éroticos. Eles simulavam, mas nunca mostravam mais do que os seios ou o bumbum de um homem ou mulher. Tudo muito superficial. Nada apelativo ou vulgar. Os atores e atrizes desses filmes eram desconhecidos para mim. Nenhum deles pertencia ao rol de ouro de Hollywood. Então, meus caros, impossível citar nomes e títulos de grande sucesso nessa categoria cinematográfica. Aqui, confesso sou uma perfeita leiga, pois não lembro o nome de nenhum destes filmes que vi e nem de seus atores. A única coisa que me recordo é de uma atriz loira, de cabelos compridos enrolados, com um baita peitão, sem cintura, pernas ultra finas, sem bunda, que trabalhou em diversas dessas produções. So isso é o que posso falar sobre "a sétima arte".

Ah, acabei de me lembrar de uma atriz que fez sucesso nestes filmes, a Sylvia Kristel. Nossa como poderia me esquecer de sua personagem a "Emmanuelle".


Sinceramente, não procurei me aprofundar quanto a este assunto. Foi só uma fase que passou. Curti o que tinha de curtir. Nesta mesma época, não me recordo ao certo o ano, o SBT tinha um sessão de cinema, aos domingos após o programa do Silvio Santos em que passsavam filmes brasileiros. Bem, vocês podem imaginar quais os tipos de filmes que ali passavam. Quem adivinha? Ganha um prêmio.


Isso mesmo, acertou quem pensou ou falou "as pornochanchadas" ou "eróticos". Estes aqui estrelados por grandes astros de nossa TV (por motivos pessoais, não citarei nomes de atores ou atrizes). Dentre os que ali vi, os mais conhecidos são: Bonitinha, mas ordinária; a dama do lotação; Rio babilônia; mulher sensual; o olho mágico do amor; clube dos infiéis; a fêmea do amor; dentre outros. Ainda bem que o "cinema nacional" deu a volta por cima, e hoje podemos ir ao cinema ver um belo filme, com história e conteúdo. Para finalizar, este meu pequeno texto sobre minhas descobertas no campo dos filmes "eróticos", contarei sobre o primeiro filme pornô que assisti de fato. Sim, vou fechar com chave de ouro. Em setembro de 1997, minha irmã comprou um "vídeo cassete". Eu estava com 21 anos, procurando emprego. Meu sobrinho (filho dessa irmã), tinha 17. Morávamos todos juntos. Ficamos muito alegres (eu e meu sobrinho) com este presente, pois a partir dali poderíamos alugar o filme que quisessemos e ele poderia ver, bem, vocês ja entenderam. Não me recordo o nome do primeiro título que assisti, a única coisa que me lembro é do ator, conhecidissímo na época. Ele chamava-se Rocco Siffredi e não posso negar, era um homem bonito. Depois fui descobrir que era um ator conceituado no seu "meio artístico". Foi a estrela de muitos filmes pornôs. Uma atriz que também fez sucesso naqueles anos foi Cicciolina (chegou a fazer uma participação na novela "Xica da Silva" em 1996 na extinta TV Manchete). Hoje pouquíssimas pessoas lembram dela.

Enfim, novas descobertas, novas experiências e sem dúvida, novos aprendizados, para mim e acredito que para qualquer pessoa que passe por essa, digamos, "fase gostosa".

Por favor, aguardo os comentários e seus relatos.






































8 comentários:

Jaime Guimarães disse...

Oi,Cíntia!

Nossa, pensei que só eu me lembrava da OM Brasil. A emissora logo de cara "investiu" pesado e levou nada menos que Bobã...digo, Galvão Bueno para narrar os jogos e chefiar o depto. de esportes. De quebra popularizaram a então capenga "Copa do Brasil" ( a que dá passaporte para a Libertadores) e, se não me engano, a OM transmitiu alguns jogos da própria competição sul-americana.

Mas os tempos de glória pararam aí. A emissora mostrou a que veio e foi logo exibir "Calígula" e "Alcova"( eu me lembro deste filme e já, já eu falo um pouco mais sobre ele).

Eu já achei que o Malcom McDowel estava insando DEMAIS em "Laranja Mecânica", mas depois de ver a participação dele em "Calígula", tive certeza: o cara é realmente perturbado. Ou, na verdade, um excelente ator, pois o Calígula romano era mesmo doido de pedra. Mas o bom do filme também para aí...rss...digo, hoje, já adulto ( ou quase isso), até achamos que o filme "pegou pesado", mas lá pelos 14, 15 anos tudo era legal...ou quase tudo, já que era uma orgia "todo mundo é de todo mundo" e tal.

Já com o "Alcova" foi o seguinte: TODA a molecada só falava desse filme "vai passá filme pornô, vai passá filme pornô!" As mães ficaram preocupadas e montaram vigília na sala para impedir que os filhos naquela faixa etária sintonizassem na OM. Eu consegui assistir a um pequeno trecho do filme antes da minha mãe chegar à sala, sentar no sofá e dizer "vou assistir TV com você hoje!" hahahahahaha! Bom, o jeito foi assistir às finais da NBA rsss

E quem não assistiu a Sexta Sexy, né? Realmente passava uns peitinhos ( peitinhos? Americanas, oras! Só silicones com 500 ml, pelo menos) e umas bundas aqui e ali, nada de mais. Mas era a "resenha" da rua no dia seguinte. "Você conseguiu ver o que mais, hein, hein?" Teve uns que viajavam e conseguiam "ver os pelos púbicos" (claro que não chamávamos assim rsss) da atriz.

Perceba que, nestes casos, havia aquela coisa do "descobrir" os mistérios do sexo, aquela curiosidade toda e até mesmo o encantamento em ver um seio e uma bunda na tela de uma Sexta Sexy...e quando a coisa era mais escancarada como Calígula, Alcova ou filmes do Rocco, Cicciolina, Savanah e sei lá mais quem, nos programávamos todos para ver "escondidos".

Hoje, com celulares que tiram fotos e fazem filmes, além da internet, qualquer moleque de 10 anos tem acesso a filmes que nos deixam impressionados com as elasticidades das atrizes...rsss...isso quando eles próprios, adolescentes, não criam seus próprios filmes "CNN" (caiu na net).

Bjs, Cíntia! Parabéns pelo texto ( toda cheia de classe para escrever sobre Cine Privê, Sexta Sexy, pornochanchadas, Rocco, Alcova e etc..rsss)

PS: Lembro-me das pornochanchadas e ficou a impressão: Sônia Braga + Vera Fischer + Lucélia Santos = Sexo. rssss Que injustiça ( será?)

Marcelo A. disse...

Cintia;

Eu também tive minha fase "erótica". Todo mundo tem, né? Aliás, já falei sobre lá no "Diz". Faz parte, como diria um certo ex-BBB... Uahahahahhahaaa!!!!

Bem, vamos lá: OM. Caraca! Essa veio do fundo do baú. Tô até me vendo, com 15 anos, todo ouriçado pra ver Caligula. Naquele tempo, não havia a facilidade de hoje em dia. Essa molecada não sabe o perrengue que a gente passava, sem internet. Verdadeiros malabarismos que incluíam colocar o som da TV no Mudo pra que ninguém ouvisse os "Oh, Yeah!", "Yes, Yes, Yes!", "Fuck me, baby, fuck me" e afins. Uahahahhaaa!!! E quando a mãe insistia em aparecer, de repente, e a gente tinha que trocar de canal rapidinho? Santo controle remoto!

O lance de Calígula foi mesmo engraçado. Mas, também! A OM cismou de passar o filme em plena Semana Santa! Aí, já viu, ficamos apenas com a primeira parte, já que a emissora havia optado em exibi-lo em duas partes!

De "Alcova" me lembro muito pouco. Me recordo que tinha o lance de uma escrava, belíssima, e até onde sei o filme era italiano.

A sessão erótica de domningos no SBT também fizeram história. Lembro de "Histórias que nossas babás não contavam" com a Adele Fátima que, se não me falha a memória, foi mulata do Sargentelli. Ela encarnava uma Branca de Neve muito da safada!

Uahahhahahaaaa!!!

Agora, Sexta Sexy e Cine Privê, modéstia à parte, sou especialista. Talvez, só perca pra você. A franquia Emmanuelle, com a Sílvia Kristel, sei de cor. Tinha até uma Emmanuelle nas Galáxias, lembra? Sinistro...

Já esse negócio de Rocco nunca foi minha praia não! Preferia a Cicciolina ou a Tracy Lords!

Bom, comadre, já vou! E como falou o moço aí de riba, parabéns pelo texto, de extrema classe e elegância. Eu não faria melhor...

Uahahhahahhaaaa!!!

Beijão!

guifrei disse...

Perdi a conta de quantas vezes eu vi Alcova. Já o Calígula, eu finalmente vi faz dois anos em DVD. Na época a censura era em casa mesmo. Eu lembro que tinha uma novela das sete que citava esse filme na época em que estava em cartaz, eu acho que era Sassaricando. Já os filmes do Cine Privê eram uma farsa!!! Dia desses eu vi Os Sete Gatinhos no Canal Brasil. Aliás, o Canal Brasil tem um bloco diário dedicado a essa "época de ouro" do nosso cinema... Boas lembranças do tempo das espinhas... Muito show seu post. Aproveito pra deixar uma sugestão: um tributo a Molly Ringwald, musa dos filmes do John Hughes.
Um beijo!

Mateus, O Indolente disse...

Ah, a Emanuelle é clássica, haha. Um dias desses, procurando um filme para dar de presente ao meu pai, fiquei na dúvida entre Embalos de Sábado à Noite e um da Emanuelle...comprei o do John Travolta, mas acho que meu pai gostaria mais da outra opção.

^^

Vanença disse...

É mesmo, o filme Calígula quando foi exibido na TV( juro que não me lembro dessa OM Brasil.. não foi CNT?) causou muita polêmica na época. O conteúdo forte do filme, chocou muita gente e abriu discussão sobre os limites a serem respeitados na TV. Também me recordo dos filmes exibidos no Cine Band Privé aos sábados, como o é o caso de Emmanuelle e os nacionais que você citou no SBT, aquelas "preciosidades" com Sonia Braga, Vera Fisher e Lucélia Santos, Paulo Cesar Pereio, Jece Valadão e outros mais. Cruzes!!! Viva os filmes nacionais atuais, cada vez melhores!!! Bjão e até a próxima.

Marcela disse...

Oi Cintia! Bom eu não assisti nenhum filme dos que vc comentou,lembro do cine privê só de nome mas como vc disse passava muito tarde e eu obviamente não podia assistir pq tinha escola no dia seguinte. Minha fase mais erótica já veio na adolescência com os filmes por nôs pesados e mais recentemente com a internet aliás, graças a ela que pude akele filme bomba da Xuxa hauahuahauha
Valeu pela visita.
beijos!

http://lusinha.com.br/mahjestic

Thiago Paulo disse...

Haha, não esperava um post com esse tema, mas, como você disse, todos temos essa fase... Já vi muito CinePrivê, mas tenho que dizer que achava chato demais... Sempre esperava por algo mais explícito...rs

Abraço.

Alex disse...

E a manchete também era campeã nesse quesito. Quem não lembra do manchete reporter que vivia fazendo pseudo reportagens sobre prsotituição e swing, e naturismo? E todas as segundas feiras eu ficava até uma e meia da madrugada para ver o final do Cinemania onde eles mostrava sempre uma cena pornozãona mesmo, cicciolina e sua turma...

Postar um comentário